Implantes2020-07-24T14:11:00+00:00

IMPLANTE DENTÁRIO

O implante dentário é um dispositivo médico concebido para substituir um ou mais dentes da cavidade oral. Quando se deseja realizar uma reabilitação oral fixa e não existem dentes naturais para o suporte da mesma, o implante dentário poderá ser a solução. O implante dentário tem a forma de um “parafuso” feito a partir de uma liga de titânio. Para este tratamento específico é necessário que exista uma osteointegração (fixação do implante dentário) pela formação de tecido ósseo ao seu redor.

A partir de uma cirurgia é possível introduzir este dispositivo médico no osso da mandíbula e/ou maxila. Em alguns casos onde os dentes foram extraídos há vários anos e a disponibilidade óssea é reduzida para “fixar” um ou vários implantes dentários, poderá ser necessário a realização de um tratamento complementar chamado de regeneração óssea guiada (queremos que volte a existir osso naquela zona).

Dentes fixos no próprio dia

É possível ficar com com os dentes fixos no próprio dia da cirurgia de colocação dos implantes mas não em todos os tipos de ossos, nem em todos os tipos de reabilitações. Por norma, os dentes fixos completos (implante + coroa) são realizados sobretudo ao repor os 12 dentes de uma arcada, onde são utilizados vários implantes dentários ao mesmo tempo.

Implantes para toda a vida?

Os implantes dentários poderão não durar para toda uma vida. A durabilidade dos implantes dentários depende de inúmeros fatores, como a higiene oral, assiduidade ao controlo da reabilitação anual, consumo de tabaco, ingestão de álcool, doenças sistémicas e parafunções dentárias (p.ex. bruxismo). Deve seguir as recomendações do seu profissional de saúde oral e adotar determinadas condutas de higiene oral no dia-a-dia para que os seus implantes dentários tenham durabilidade.

QUANTOS IMPLANTES SÃO NECESSÁRIOS PARA REPOR TODA A BOCA?

Poderá ser possível repor todos os dentes ausentes de um dos maxilares com apenas 4 a 6 implantes dentários. Uma arcada dentária (maxila, em cima ou mandíbula, em baixo) é funcional com 12 a 14 dentes por arcada, sendo que não são necessários 12 ou 14 implantes para repor todos os dentes ausentes da arcada dentária em questão.

 ALGUNS DOS NOSSO CASOS 

PERGUNTAS FREQUENTES

É doloroso colocar implantes?2020-05-14T14:57:25+00:00

Não. O implante é colocado com anestesia local e o paciente não sente qualquer dor. Com o recurso a analgésicos e antiinflamatórios, não existem grandes síntomas. Contudo, à medida que vai passando a anestesia, é natural que paciente se sinta algo dorido.

Quanto tempo demora todo o procedimento?2020-05-14T14:52:33+00:00

Este procedimento é feito em duas fases: na primeira, coloca-se o implante (em cerca de 30 minutos). A segunda fase surge passados 3 a 4 meses. Nesta altura, se tudo estiver bem, pode ser já realizada a coroa ou prótese definitivas.

A coroa que fica sobre o implante é igual a um dente natural?2020-05-14T14:53:11+00:00

É igual em termos de estética e função, sendo que a principal diferença é que o implante não tem sensibilidade.

Que tipo de complicações podem surgir? Quais os riscos cirúrgicos?2020-05-14T14:54:12+00:00

Mínimos. A cirurgia é normalmente realizada com anestesia local e é muito menos traumática do que outros procedimentos cirúrgicos, como a extracção de dentes inclusos. O pós-operatório é muito bom e a maioria dos pacientes não relata qualquer incómodo maior. Existe, porém, um certo risco inerente a qualquer intervenção cirúrgica como: infecção pós-operatória, algum edema, entre outros, mas em índices muito baixos e que não contra-indicam a técnica.

Em relação à capacidade de mastigação, esta vai melhorar após a colocação de implantes?2020-05-14T14:55:01+00:00

Os implantes apresentam resultados funcionais muitíssimo superiores aos obtidos por próteses removíveis. Os pacientes que usam prótese há muito tempo e colocam implante sentem uma diferença muito significativa.

Qual a influência do tabaco neste tipo de tratamento?2020-05-14T14:55:56+00:00

O tabaco pode contribuir para o insucesso deste tratamento, dado que diminui o aporte sanguíneo ao osso que rodeia o implante, bem como gengiva e mucosa circundantes; diminui também a capacidade de cicatrização, o que potencia o surgimento de infecções e a dificuldade de recuperação das mesma.

MÉDICOS RESPONSÁVEIS

Marque uma consulta de avaliação com um dos nossos médicos especializados em Implantologia e fique a conhecer qual a melhor solução para o seu sorriso.

Marcar consulta
Go to Top